Beleza inclusiva

Tanto se fala em beleza, e realmente estamos constantemente em busca dela. Vejo como um processo natural essa busca, pois se você observar a natureza, ela sempre se propõe em beleza para dar continuidade a vida e nós somos parte da natureza.


Mas aí vem uma grande questão: o que define o que é belo? Ao longo da nossa história criamos várias teorias sobre isso e ainda demos vários significados a definição, sobre influencia das culturas e do mercado. O mercado se aproveita das nossas culturas e as nossas culturas sofrem influencia do mercado, meio que um ciclo vicioso. Assunto tabu, eu sei! E é exatamente por essa razão que precisamos estar atentos como deixamo-nos ser afetados. Parece contraditório vir de alguém que presta serviços de beleza falar dessa forma, pois acho que não. Refletir sobre isso torna nosso olhar mais amplo e gera mais auto aceitação também. Acredito que como profissional preciso contribuir para isso. A maioria de nós vive tentando se encaixar num padrão que é o do momento. Mas quem é que nasce no padrão de um dado momento? Sem contar os formatos universais de rosto, nariz, boca e que basicamente dita que o resto nasceu fora do formato. Somos extremamente diversos! E pra mim a beleza está aí! Cada um com as suas formas e cores e com equilíbrio dentro das suas próprias cores e formas. Então, buscar se sentir belo deveria ser buscar algo para se encaixar em mim e não o contrário.


E chegamos ao ponto de ter que dizer que a Beleza se tornou inclusiva, inclusiva em quê? Em incluir toda a diversidade de corpos em um mercado, publicidade e cultura que vinha ditando o que é belo em cada momento. E acho positivo partirmos do inclusivo para chegar a uma aceitação massiva dessa diversidade. Estamos finalmente caminhando para transformação.




24 visualizações0 comentário

2011- 2020 @Déri Procópio